Terceira Igreja Presbiteriana de Rio Claro

Rua Nove, 1983 - Santa Cruz - 13500-220

terceiraipbrc@gmail.com

(19) 3617.7879 | (19) 3617.7880

(19) 99657.5047

  • Facebook
  • YouTube
Buscar
  • 3ª IPB Rio Claro

56 Anos de Existência


Estamos comemorando o quinquagésimo sexto aniversário de existência da 3ª Igreja Presbiteriana na cidade de Rio Claro, conhecida como Cidade Azul.


É com grande alegria que comemoramos a existência desse local e do rebanho que aqui se reúne com o propósito de adorar e servir unicamente ao Senhor nosso Deus! De fato, são muitas bênçãos derramadas e, como disse o salmista, “Eu quisera anunciá-las e delas falar, mas são mais do que se pode contar” (Sl 40.5).


Porém, lembramos sucintamente que a Terceira Igreja de Rio Claro nasceu na residência de dona Cecília Cerqueira Carvalho, em 10 de março de 1934, que logo recebeu o nome de Congregação Samambaia. O trabalho que começou pequeno, aos poucos, foi crescendo e novos integrantes foram incorporados à congregação, inclusive, ampliando o local de adoração.


Em 1962 passou a ser Congregação Presbiteriana e em 1963 foi organizada em igreja, passando a chamar-se Terceira Igreja Presbiteriana de Rio Claro, há exatos 56 anos atrás. Assim, nossa igreja começou a marcar sua presença no bairro e na sociedade rio-clarense, por meio da proclamação do Evangelho, da administração dos sacramentos e do testemunho daqueles que amam a Jesus.


Vale lembrar que cada pessoa tem sua parcela de importância na expansão do reino. Cada um tem seu valor aos olhos de Deus. Não importa qual o seu papel no serviço eclesiástico. O importante é desempenhar o trabalho de Deus com respeito, dedicação e alegria, como disse o salmista – “Servi ao Senhor com alegria” (Sl 100.2).


No entanto, um fator a ser considerando é o Tempo. Todos têm suas atividades e seus compromissos. Mas não podemos deixar o quarto mandamento fora de nossas vidas: “Lembra-te do dia de descanso, para o santificar. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas o 7º dia é o descanso do Senhor, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro” (Êx 20.8-11).


Cabe a cada um guardar o Dia do Senhor. A igreja é um ambiente propício para o sacrifício de louvor (Hb 13.15). Não se trata de adoração às quatro paredes, mas de devoção a Deus. Não se trata de tempo ocioso, mas de crescimento espiritual. Não se trata de obrigação, mas de oportunidade!




Rev. Célio Gomes de Azevedo

0 visualização